profissões do futuro

Computer and technology: conheça 5 profissões do futuro

By Hey Peppers!
In junho 7, 2017
1442 Views

Há quem diga que, em um futuro próximo, todos vão saber programar. Afinal, o mundo está cada vez mais informado, conectado e dinâmico, o que faz com que as profissões do futuro sejam voltadas para o desenvolvimento de novas tecnologias, softwares, sites e manipulação de dados.

Mesmo que não seja um requisito para a sua área de atuação, a programação faz parte da realidade de muitas ramificações ligadas à tecnologia e computação. Logo, escolher um curso superior em alguma dessas áreas e dominar uma linguagem de programação pode ser a base para uma carreira de sucesso.

Ciência da Computação, Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Sistemas de Informação são alguns dos cursos superiores que ensinam a programar, podendo te dar uma boa base para construir sua carreira.

E aí, você tem vontade de atuar em alguma dessas áreas? Então, continue lendo o nosso post e saiba mais sobre as 5 profissões que poderão moldar o futuro do mercado de trabalho que conhecemos!

1. Desenvolvedor de software

Hoje, não vivemos mais sem um celular na mão ou um notebook em casa, para realizar as mais diversas tarefas e facilitar nosso dia a dia.

Mas você já parou para pensar que todos os softwares que utilizamos são criados por um programador? Desde as páginas da internet em PHP, por exemplo, até os jogos e aplicativos para celular, tudo é programado.

Pois é: o programador é um facilitador do cotidiano, que parte das nossas necessidades e processos e os transforma em algo realizável, otimizável e tangível, como aplicativos para celular, jogos, programas de computador, sistemas para empresas etc.

Por isso, mais do que apenas dominar uma linguagem de programação, o desenvolvedor de software precisa gostar de resolver problemas. Trata-se uma atividade que te exige estar sempre pensando, raciocinando e buscando alternativas e soluções de tecnologia que sejam adequadas à demanda do cliente.

É uma profissão, portanto, que exige grande dedicação e trabalho intenso. Muitas vezes, os prazos são reduzidos para a entrega do programa final, e é preciso que o desenvolvedor dê suporte ao programa que ele criou, se houver problemas ou bugs a serem resolvidos posteriormente.

2. Analista de dados

Sem dúvida, o Big Data é o novo petróleo. Todos os dias, milhares de dados são obtidos e armazenados, e as empresas que conseguem interpretar e fazer uso das ferramentas de análise de dados têm uma vantagem considerável no mercado.

Para isso, nada melhor que um profissional que consiga determinar o que serve e o que não serve em um grande volume de informações. E esse é o analista de dados, qualificado para coletar, compilar e interpretar dados de modo que gerem lucro para a empresa.

De uma grande quantidade de dados, ele separa o que pode ser útil e direciona para setores: como marketing, para que as campanhas sejam mais eficazes e atinjam o público correto; para melhoria ou desenvolvimento de novos produtos, de acordo com as tendências de consumo do mercado; para a diretoria, influenciando grandes tomadas de decisão de CEOs, que poderão analisar o que já aconteceu e prospectar o futuro de acordo com os dados estatísticos fornecidos.

3. Analista de segurança da informação

Tudo o que é valioso precisa de proteção, e com os dados, isso não é diferente. À medida que os dados ganham valor econômico, maiores ficam os desafios da cibersegurança e mais elaborados ficam os ataques mal-intencionados.

Bases de dados são como um patrimônio da empresa, portanto, é necessário um profissional que garanta a segurança da informação que ela obtém, prevenindo vazamentos de informações sigilosas que possam comprometer estratégias futuras da empresa.

Nesse sentido, o analista de segurança da informação acompanha de perto as vulnerabilidades dos sistemas que podem levar a roubo de dados, e realiza análises de risco de ataques às redes corporativas.

Ele também é responsável por criar e implementar políticas e sistemas de segurança — minimizando as possibilidades de invasão por hackers e reduzindo os danos quando elas acontecem — bem como acompanhar auditorias, recuperar e proteger, em geral, informações.

Já que esse profissional deve pensar como os hackers que poderiam invadir os sistemas, conhecer as linguagens de programação mais utilizadas no desenvolvimento de vírus e malwares pode ser um diferencial importante para essa profissão.

4. Engenheiro e administrador de redes

Com tudo tão conectado, é necessário que as redes funcionem plenamente para garantir que a comunicação seja ininterrupta. E é aqui que entra o administrador de redes.

Também chamado de engenheiro de telecomunicações, esse profissional é responsável pelo planejamento de toda a infraestrutura física das telecomunicações da empresa, e o que a envolve (servidores, cabos, protocolos, instrumentos de administração, de segurança etc.).

Também é responsável pela manutenção, configuração, instalações de softwares e ampliação da rede local e dos recursos computacionais de uma empresa. Além disso, decide os níveis de acesso e permissões de utilização, garantindo que as políticas de segurança sejam respeitadas, e dá suporte aos usuários finais dos sistemas de rede e intranet.

5. Desenvolvedor web e web designer

Por fim, essa é mais uma carreira que pode chamar a sua atenção se você for um criativo interessado nas profissões do futuro. O web developer cria e realiza a manutenção de websites, nas mais diversas plataformas e linguagens — ou seja, mais um motivo para estudar programação.

De um simples blog até grandes portais e redes sociais, esse profissional trabalha o código, as bases e armazenamento de dados de sites na internet. Assim, caso você goste da parte visual, design e experiência do usuário (desenvolvedor UX, por exemplo), é possível ser um web designer.

Nesse caso, mesmo que não te seja indispensável saber programar, é interessante que ele tenha conhecimento das linguagens de programação mais utilizadas pelo Web Developer, para criar a parte visual de forma que seja viável a sua aplicação.

Enfim, a área de Tecnologia da Informação (TI) apresenta muitas opções de especialização, e o aprendizado do profissional de TI pode ser complementado com cursos específicos e certificações ofertados por empresas de referência, como IBM e Microsoft, por exemplo.

Então, gostou do nosso post? Quer ter uma das profissões do futuro e já está querendo aprender a programar? Não perca tempo — afinal, como vimos, a programação pode ser muito importante para o seu futuro profissional!

2 Comentários

  1. É depagar mnsalidade? De quanto?

    • Hey Peppers!

      Hey Abner! Clica aqui: https://goo.gl/yh5wGx que entramos em contato com você para conversar melhor sobre nossas opções de cursos!

Deixe um comentário