Experiência no exterior: como é viver na Irlanda?

By Hey Peppers!
In dezembro 1, 2018
341 Views

Nosso teacher Cleber Dall Pizzol passou oito meses na Irlanda e contou para a gente sobre como foi passar este tempo em terras vikings

Ter uma experiência fora do país não é tarefa das mais fáceis, mas, com certeza, um momento de transformação que a gente carrega para o resto da vida. Passar um tempo fora da nossa zona de conforto pode ser libertador e, ao mesmo tempo, uma etapa cheia de desafios em um lugar totalmente novo.

Já imaginou passar um tempo na Irlanda? A Irlanda é um país cheio de encantos. Quem nunca ouviu falar dos leprechauns, de St. Patrick, das fadas, druidas e celtas? A cultura irlandesa é extremamente rica e cheia de histórias.

Cheia de histórias também foi a experiência do nosso teacher Cleber Dall Pizzol, que passou oito meses na Irlanda em 2015. Durante este período ele viveu muita coisa: novos aprendizados, se adaptou aos costumes dos irlandeses e viajou muito. Por isso, ele contou um pouco sobre como foi passar este tempo em terras vikings.

Experiência

Cleber tinha 23 anos quando saiu do Brasil para se aventurar na Irlanda. Era aluno da Hey Peppers! e a experiência no exterior, convivendo com a língua, foi essencial para sua decisão de viver professor. A chegada por lá foi mais fácil do que esperava, a ida para a europa é menos burocrática do que para outros países e, de modo geral, foi muito simples de encontrar um lugar para viver.

No entanto, para viver legalmente no país é preciso, necessariamente, estar matriculado em uma escola e ter uma alta média de frequência de cerca de 70%. Para ir para o país também é necessário cumprir algumas regras: é preciso comprovar que você tem como se manter no país e apresentar uma base de 3 mil euros. Salgado, né?

O teacher morou na capital Dublin, mas neste período foi possível conhecer um país cheio de paisagens e cidades lindas. Passou por Galway, Cork, Howth e também por outros países. A passagem para visitar os países mais próximos chega a custar 15 euros, cerca de R$65. Segundo Cleber o país “é muito tradicionalista. Lá você encontra muitos pubs e muita cultura local”.

Ele ressalta que Galway e Dublin são grandes, mas que a maioria das cidades é parecida com o que a gente vê um filmes: pequenas, interioranas e muito verdes, que fazem jus ao apelido de ilha verde do país.

A Língua

Como falamos antes, o teacher Cleber era aluno da Hey Peppers! antes de ir para a Irlanda e mandava muito bem no inglês. Mas a experiência de conviver com nativos é totalmente diferente.

Para ele, o sotaque dos irlandeses é muito diferente, mas não chegou a ser uma barreira no entendimento. “É a mesma coisa que um gaúcho ir para a Bahia ou um baiano vir ao Rio Grande do Sul.

A gente sente a dificuldade de entender, por que o irlandês nativo tem um sotaque muito carregado, mas minha dificuldade durou só 15 dias”, ressalta. A viagem, além de ser uma grande experiência, foi um momento para melhorar a fala e deixar o inglês cada vez mais fluente.

Os hábitos

“A comida brasileira é a melhor do mundo e a do irlandês é muito forte”, conta. Eles comem muuuuito no café da manhã. E não é comidinha leve como a gente faz por aqui. Segundo o teacher, o café irlandês tem bacon, ovos, linguiça, batata e tomate. Uma comida bem calórica para aguentar o dia, já que por lá eles não costumam almoçar ao meio dia.

E sabe o que mais é estranho? Os horários de banho. O povo irlandês toma banho a cada 3 ou 4 dias. Mas tem um detalhe: ao contrário de nós, eles não pagam pela água que consomem. Então “gastar” água com mais de um banho por dia é um desperdício imperdoável para eles. “Um dia uma menina chegou na escola, à noite, com o cabelo molhado, e o professor perguntou por quê ela estava com o cabelo assim. Ela respondeu que tinha tomado banho à noite e ele ficou muito bravo!”.  Além disso, os banhos não podem passar os 10 minutos. Regras!

Clima

 

Não se engane: a probabilidade de cair uma chuvinha é bem grande. No entanto, a chuva por lá costuma ser fraquinha, tipo uma garoa, e não costuma dificultar um passeio, por exemplo. A temperatura costuma ser agradável no verão, já no inverno o frio aperta, a média é entre -2ºC a 6ºC. O bom é que a maioria dos ambientes internos têm sistema de aquecimento. De modo geral, o clima na Irlanda é ameno, mas nunca esqueça de levar um casaquinho. Cleber conta que em um dia é possível viver as quatros estações do ano, “Se você gosta de frio é um lugar muito bom pra ir”.

Custo de vida

Segundo o teacher, o custo de vida na Irlanda é barato. A comida praticamente não tem imposto e o que pesa mais é o aluguel. Com a grande quantidade de pessoas que procuram a Irlanda para morar, o preço dos aluguéis cresceu bastante. Por isso, é muito comum que os estudantes dividam apartamentos e, assim, encontrar alguém para morar não é um tarefa difícil. Inclusive ele chegou a dividir o apê com mais 3 pessoas. Com cerca de 400 a 500 euros você passa o mês e vive muito bem, por sinal.

A gente sabe que toda a viagem é uma mescla de expectativas com realidades: você se programa e faz todos os cálculos antes de sair mas quando chega o dia a-dia na Europa você nota a diferença. A gente sempre quer aproveitar tudo e, por isso, é preciso tomar alguns cuidados com as extravagâncias em um primeiro momento. Tenha sempre foco nas prioridades e no planejamento que você fez.

Óbvio que você não vai ficar só em casa e viver isolado. O objetivo é que você tenha uma ótima experiência no país. Faça bons passeios, conheça lugares e pessoas e tenha uma vida paralela às aulas. Seja ativo e comunicativo. Aproveite bem o lugar e conheça a cultura e todas as maravilhas que a só a Irlanda pode te oferecer.

Lendas e folclore Irlandês

O folclore e irlandês e a cultura são muito ricos. Quem passa por lá não deixa de ouvir sobre fadas, druidas, celtas, leprechauns ou duendes e também de St. Patrick, por exemplo. As fadas fazem parte dos folclores de todo mundo, mas elas são especiais para os irlandeses. Segundo eles, as fadas são bonitas e poderosas, mas a maioria vem para trazer a desgraça e a má sorte. Pesado, né?  

Ao contrário delas, os duendes ou leprechauns, que são de uma lenda muito antiga dos tempos medievais, não aparentam ser tão bonitos. São conhecidos como homens pequeninos que usam ternos verdes. Estes duendes adoram colecionar ouro, que ficam dentro de panelas que eles escondem final do arco-íris. Essa história você deve se lembrar.

Outra história irlandesa muito legal é a de St. Patrick. St. Patrick é o santo protetor da Irlanda e o dia 17 de março é conhecido no mundo todo como St. Patrick’s Day, dia em que ele teria morrido. O trevo que hoje é comum durante a festa era uma forma que St. Patrick usava para ensinar os pagãos sobre a Santíssima Trindade. Com o passar dos anos as pessoas aderiram ao verde como a cor principal do dia e acabaram por associar trevos, sorte, fortune e festa e fizeram uma ligação entre o dia e os leprechauns.

Mas, afinal, se ele é o santo protetor da Irlanda, por que as pessoas bebem tanto no dia dele? Segundo a história, o dia do padroeiro da Irlanda sempre foi um dia de muita festa e comemoração. O problema é que a data sempre caía em meio a quaresma, momento em que todos deveria fazer jejum em respeito ao martírio de Jesus. No entanto, para o dia de St. Patrick a Igreja Católica da Irlanda abria uma exceção e todo mundo aproveitava. Cleber explica que é proibido beber na rua, mas St. Patrick é o único dia em que isso é permitido.

Com certeza um lugar para viver momentos que serão guardados para sempre, com pessoas de todos os lugares do mundo. “A troca de experiência com outras pessoas foi a coisa mais incrível”, ressalta. Quer fazer uma viagem? A Hey Peppers! tem planos incríveis para você aproveitar esse momento com muito tranquilidade. Aqui a gente cuida de tudo. Vem saber mais. 

2 Comentários

  1. Adorei ler sua experiência. parabéns pela coragem.

  2. Lindo depoimento

Deixe um comentário