O que é Empreendedorismo: da inspiração à prática

By Hey Peppers!
In agosto 29, 2019
198 Views

São muitos fatores que permeiam o conceito de empreendedorismo. Então se você sempre se pergunta “o que é empreendedorismo?”, sugiro você pegar uma cadeira e sentar pois é sobre isso (e muito mais) que falaremos aqui!

Definimos empreendedorismo pelo dicionário como a “disposição ou capacidade de idealizar, coordenar e realizar projetos, serviços e negócios” e/ou a ”iniciativa de implementar novos negócios ou mudanças em empresas já existentes envolvendo inovação e riscos”. A partir disso é possível ter uma noção básica de que empreender está associado diretamente com criatividade, auto realização e muita responsabilidade, lógico.

Liderar e gerenciar pessoas, planejar e articular projetos e ainda ter potencial criativo e estratégico para lidar com diversas situações cotidianamente é só o começo do que representa empreender. Transformando crises em oportunidades e as oportunidades em sucesso o empreendedor está sempre buscando negócios e otimizações.

Continue lendo e tire suas dúvidas e receios sobre conceitos e a trajetória empreendedora!

Como surgiu o termo empreendedorismo?

Relacionando empreender com a busca de oportunidades dentro de um determinado mercado, a atividade já é tão antiga quanto a própria humanidade. Porém, apenas em 1942 a partir do economista austríaco Joseph A. Schumpeter as raízes do empreendedorismo dá os primeiros sinais de vida. 

Com o livro “Capitalismo, socialismo e democracia” o economista planta o conceito de forma semelhante ao que conhecemos hoje. Isso ocorreu com o uso do termo para explicar o processo de “destruição criativa”, processo semelhante ao que vemos hoje na obsolescência programada no contexto tecnológico. 

Na “destruição criativa” velhos produtos, processos e empresas deixam de existir e são substituídos pelas inovações dentro daquele dado mercado. Associando assim, definitivamente, o empreendedorismo ao ato de fazer algo diferente do que vinha sendo feito. Inovar!

Sem o empreendedorismo práticas e contextos obsoletos não teriam a possibilidade de substituição por outros mais adequados. Elevando assim o conceito a um patamar de enorme importância, no desenvolvimento social e econômico dos países. 

O que se entende por “empreendedorismo”, na prática?

Para além de todas as definições que já destacamos, o empreendedorismo abrange o enorme potencial de introdução, modificação, combinação e inovação de mercados. Isso é possível a partir de constantes pesquisas, validações, erros e acertos. Fazendo o melhor uso possível dos recursos disponíveis visando gerar impactos recorrentes e reais no seu contexto. 

Conectando os termos empreendedorismo e empreendedor, podemos destacar que o primeiro se mantém no campo das idéias e se resume à características, conceitos. Já o termo “empreendedor” está muito mais relacionado à ação, ao que se coloca em prática, o que se aplica na vida real. Lidar com soluções criativas e estratégicas visando sucesso e inovação e a fusão de ambos. 

Quais são as principais características de um empreendedor?

Ao contrário do que se idealiza, o “Q” empreendedor não é algo nato do ser humano. Há pessoas que desde cedo manifestam o desejo e atitudes empreendedoras, mas no geral é um processo que vai se exercitando com o tempo a partir de interesses e vivências. Isso ocorre ao longo da vida com influências diversas tendo em vista, especialmente, que somos seres sociais.

Ou seja, mesmo que você não se considere hoje uma pessoa empreendedora, mas está frequentemente pensando em inovações, possui idéias que podem contribuir positivamente para determinado mercado ou a sociedade, com leituras, pesquisas, associações, prática e análises o seu perfil poderá ser facilmente lido como de empreendedor. 

Existem algumas características comumente manifestadas e encontradas em perfis de empreendedores, são essas:

  • Persistência e resiliência: O empreendedor é definido como alguém extremamente motivado, convicto e entusiasmado. É capaz de enfrentar todos os obstáculos e busca as melhores alternativas para colocar tudo nos eixos. Não abre mão de nada facilmente, supera desafios e segue sempre com perseverança.
  • Autoconfiança: Como empreendedor acreditar em si mesmo é fundamental, seja para valorizar seus próprios talentos e também defender suas opiniões.
  • Coragem e manejo com os riscos: Medo é tão humano quanto a coragem. Ambos coexistem na medida certa dentro do empreendedor, já que lida-se frequentemente com altos riscos e situações fora da zona de conforto. Por isso, fala-se aqui em seguir sem temer fracasso e rejeição como um ponto essencial, apesar das inevitáveis seguranças. Essa característica diretamente relacionada ao  não impede que sejam cautelosos e precavidos contra o risco, mas os faz entender a possibilidade de falhar.
  • Otimismo: Essa característica não tem nada de romantizado em sua essência. Está relacionada a esperar o sucesso de suas ações a partir de todo o esforço empregado, enxergando todos os riscos mas também as forças e oportunidades, de forma realista.
  • Pensamento estratégico aliado à criatividade: Conforme já foi ressaltado aqui, o empreendedor está sempre pensando nas melhores soluções a partir dos recursos que dispõe para resolver situações complexas do cotidiano. Para isso é fundamental contar com uma visão criativa, analítica e estratégica. 

Que tipo de empreendedor você é (ou deseja ser)?

Pode parecer assustador ler tantas habilidades e características que são identificadas e/ou necessárias em um empreendedor. Porém, só em estar aqui conferindo conteúdos como esse você, certamente, deve cumprir alguns destes (mesmo que ainda não saiba), já com uma visão atenta aos seus próximos passos  na jornada empreendedora e calculando os riscos.

Mas o empreendedorismo é muito mais do que se pensa, quanto mais cavamos mais possibilidades surge. Dessa forma, não existe apenas um tipo de empreendedorismo, existem vários! Por isso mesmo que a gente te tranquiliza e fala que cada empreendedor, de acordo com o tipo de empreendedorismo que protagoniza, vai possuir características, contextos de destaque e modus operandi distintos entre si. Confira alguns tipos:

  • Empreendedor Individual

Enquanto uma parcela considerável dos empreendedores pensa no ambiente corporativo, em aplicar suas habilidades em grandes empresas e projetos já consolidados, o empreendedor individual quer ser o protagonista da inovação vinda do zero. Certamente você irá identificar esse como o tipo mais comum de empreendedor em contextos como o de crise, por exemplo. 

Sendo por oportunidade, necessidade ou qualquer outra motivação, o empreendedor individual deseja criar um novo negócio, com sua idealização e articulação em todas as etapas. É um idealista.

  • Empreendedor Corporativo

Aqui temos também um dos tipos mais comuns de empreendedor, objetivando a identificação, planejamento, desenvolvimento e implementação de soluções inovadoras em um negócio já existente. Diversas corporações contam com o perfil empreendedor como requisito para contratação, tendo em vista todos os benefícios vindos desse tipo de profissional. 

Buscam inovar no mercado e contribuir assim para o faturamento da empresa em que atuam. São chamados também de intraempreendedores ou empreendedores internos. 

  • Empreendedor Social

Como o próprio nome sugere, esse tipo de empreendedorismo vai ajudar a promover inovações significativas e de grande relevância para o âmbito social. Tendo em vista todo o contexto de desigualdade e problemas estruturais em alguns países como o nosso, são pessoas com habilidades extremamente importantes. 

São indivíduos que podem ou não estar em organizações do terceiro setor, mas que independente do local ou contexto de atuação estão em consonância com o conceito de responsabilidade social. 

  • Empreendedor Digital

Um dos tipos mais recentes, o empreendedorismo digital se relaciona com os negócios on-line e todo esse universo. Atualmente existe uma infinidade de novos negócios e também novas profissões surgindo graças ao advento de plataformas e canais na internet. Com isso surgem também empreendedores digitais, que utilizam todos esses recursos buscando fortalecer seu negócio. 

Se você está aqui já se perguntou isso: o que me motiva a ser empreendedor?

A visão generalizada sobre os empresários movidos unicamente ao lucro e ambição de crescimento desenfreado não surgiu a toa. Mas, felizmente, nem todos os empresários são empreendedores e vice-versa. Como vimos há diversos tipos de empreendedores e contextos diferentes em que cada um consegue se destacar com suas habilidades.

Muitas pessoas pensam em empreender com dinheiro e uma sensação de independência na cabeça. Isso não é realista e também não é um pensamento saudável. Mesmo que, haja, de fato, uma certa independência de patrões, horários e cobranças de terceiros, o empreendedor sofre com muitas outras questões sobre si mesmo. Não é um cenário irreal como muitos imaginam. 

A motivação de empreender tem que ser puramente individual, tem que haver paixão, propósito e também ímpeto para enfrentar os desafios e buscar alcançar as metas traçadas. Assumir o “modo empreendedor” para a vida exige entrega total e grandes responsabilidades, pois os grandes poderes vêm junto com isso (como diria o Tio Ben ao Peter Parker). 

Mas afinal, como dar os primeiros passos na jornada do empreendedorismo?

Agora que você já está totalmente motivado e entende que o perfil empreendedor pode ser aperfeiçoado ao longo da vida, vamos aos primeiros passos. Um dos mais importantes no começo é identificar suas próprias forças e fraquezas, que tipo de habilidades você possui que podem ajudar nessa jornada e como melhorar os pontos negativos.

Se questionar constantemente é importante nessa etapa. “Como eu lido com grandes responsabilidades?”, “Consigo assumir riscos e trabalhar sob pressão?”, “Sou capaz de resolver problemas complexos de forma estratégica?”, são apenas alguns dos questionamentos possíveis. 

Isso irá impactar inclusive na decisão de que tipo de empreendedor você é (ou deseja ser) e promoverá uma visão mais clara sobre o negócio. Autoavaliação, autorreflexão e autoconhecimento são a chave nesse ponto. 

A partir disso seguir para o desenvolvimento de um plano estruturado, com objetivos, metas e métodos para acompanhamento de indicadores e performance. Acompanhar constantemente o desempenho próprio e do negócio, especificar bem as metas, buscar mentorias, capacitações, estar sempre exercitando a criatividade e não se sobrecarregar, são algumas dicas fundamentais para o começo dessa jornada longa mas satisfatória.

Você está pronto para começá-la? Pensa que não existe “hora certa” para arriscar e realizar os planos e se joga!  

 

Deixe um comentário