Quer aprender inglês rápido? Faça uma imersão!

By Hey Peppers!
In junho 18, 2019
772 Views

Não há quem discorde: as imersões são a melhor forma de você aprender um idioma. E não são poucas as opções disponíveis hoje: temos os intercâmbios, programas de imersão, jogos, escolas bilíngues, imersão em mundo 3D…

Estes programas são excelentes, pois eles contextualizam o aluno em cotidianos reais e força as pessoas a saírem da sua zona de conforto, criando estratégias do uso da segunda língua e expandindo seu vocabulário, realmente aprendendo na prática, algo que é muito difícil de ser feito em salas de aula ou práticas diárias como estamos acostumados hoje em dia.

Antes de ir para um programa de imersão é muito importante você ter definido o motivo de você estar indo nele, pois senão é muito provável que você se sabotará e acabará falando sua língua materna, se fechando para novas experiências e não interagindo em contextos reais para colocar em práticas tudo aquilo que você aprendeu até aquele momento e não aprendendo os fatores culturais que fazem parte da língua, como gírias e diferentes formas de agir em situações cotidianas. Assim, gerando grande descontentamento com a experiência em geral.

Vamos ver agora três dos principais tipos de imersão, os dois primeiros são bastante comuns e de fácil acesso, já o terceiro começa de surgir aos poucos, conforme nos sentimos mais familiarizados com a tecnologia e uso de diferentes formas de socialização através dela.

Intercâmbios

É a forma mais popular e eficaz de aprender um segundo idioma, mas também é a que exige mais recursos financeiros. Viajar para um outro país e casar a visita com aulas de inglês é a forma mais rápida de aprender, pergunte a qualquer amigo que já tenha feito um intercâmbio. Isso acontece, pois você estará totalmente imerso no contexto social, cultural e linguístico do país, onde você será forçado a usar o idioma na maioria das interações, seja elas fazer compras, pedir informações ou contar sua história para os outros.

Hoje existem programas para todos os níveis e idades, desde programas de férias em acampamentos americanos até estudar em universidades e programas de mestrado e doutorados.

Porém, é muito importante frisar que um intercâmbio também pode ser um grande motivo de frustração para aqueles que não estão preparados para abrir sua mente, experiências um forma totalmente diferente de se viver e sair da zona de conforto. Há várias pessoas que ficam mais de seis meses em outro país e voltam com níveis baixos de fluência. Então antes de ir para outro país, tenha em mente que usar o idioma local deve ser sua prioridade e interações sociais são importantíssimas para a prática da língua..

 

 

Programas de Imersão

Se o dinheiro tá curto e você não consegue dispor de muito tempo, uma excelente alternativa aos programas de intercâmbio são os programas de imersão aqui no Brasil. Eles tem se popularizados muito ultimamente, devido a sua curta duração (geralmente duram de três a cinco dias) e por proporcionar aos seus participantes uma experiência diferenciada, simulando muito bem o uso da língua em situações reais. Muitos deles conectam o uso da língua com atividades radicais, trabalho em grupos e desafios, forçando as pessoas a se comunicarem para resolver problemas e conseguirem completar tarefas,

Outro motivo deles serem populares, é que o aluno pode colocar o seu nível na língua em teste e ter uma amostra de como está sua capacidade de comunicação, para então viajar para fora do seu país. Por fim, esse tipo de imersão é algo muito prazeroso e o uso da língua acontece de uma forma muito natural. Excelente para todos os níveis de fluência, dos iniciantes aos avançados.

 

 

 

Realidade virtual

O precursor deste tipo de imersão foi o jogo Second Life, lembra dele? Lá, você tinha a possibilidade de criar seu próprio avatar e realmente viver uma segunda vida, tendo que trabalhar para juntar dinheiro, construir sua casa, fazer amigos, ir em festas, namorar, casar e até ter filhos. Para muitas pessoas, com essa imersão total através do computador, foi através do jogo que elas aprenderam um segundo idioma, pois se apresentou uma necessidade enorme de se relacionar pelo segundo idioma para elas terem uma vida bacana no jogo.

Muitos dos elementos presentes no Second Life ainda estão se encontram nas atuais formas de se relacionar por mundos criados com a realidade virtual. O mais popular de todos hoje é o Altspace, que possibilita aos usuários criarem salas de encontro para que se encontrar e conversar. A imersão é completa e você realmente esquece que há um mundo fora da sala de realidade virtual e o mais bacana é que já vários recursos que podem ser explorados, como projetar vídeos do youtube, usar lousas e até jogar uma partida de xadrez.

Há também outras empresas que possibilitam experiência parecidas, como a Immersive VR Education e Class VR, que já é mais focada em escolas e o uso educacional da realidade virtual misturada com a realidade aumentada, criando assim infinitas possibilidades de aprendizagem.

Um óculos de realidade virtual é necessário em todos os serviços, alguns requerem óculos desenvolvidos pelas empresas, já outros, como o Altspace, aceita o uso dos óculos simples, combinados com o aplicativo do smarthphone. Confira no site da empresa quais plataformas são aceitas.

A experiência da aprendizagem de um segundo idioma com a realidade virtual está apenas dando seus primeiros passos e deverá crescer bastante nos próximos anos. Hoje já temos projetos que inserem os alunos em contextos reais (inclusive algumas empresas já usam a tecnologia para treinar seus funcionários), porém o que ainda falta é a sincronização com uma assistente virtual ou inteligência virtual que utilize o idioma de uma forma natural e imite nuances do uso real da língua, como tom de voz, uso de gírias e expressões.

Quer um conselho sobre o uso da realidade virtual? Experimente! Você se surpreenderá com a qualidade e se divertirá um monte.

E ai, curtiu? Independente da forma de imersão, lembre-se: abra-se a novas possibilidades de aprender e aperfeiçoar sua língua, você não se arrependerá.

Deixe um comentário